O que se passou em 2 017 no mundo do desporto?

O ano de 2 017 brindou-nos com alegrias, tristezas, êxitos e desilusões nas várias modalidades do mundo do desporto.

O que se passou em 2 017 no mundo do desporto?

A Terra completou mais 365 dias à volta do Sol. 2 017 foi um ano cheio de alegrias e tristezas, e teve como sempre vencedores e vencidos.

O que se passou no mundo do desporto em 2 017? Já a seguir, vamos dizer-lhe quem foram os vencedores, os derrotados e os que tiveram as maiores desilusões…

Começamos pela morte do levantador de pesos turco Naim Suleymanoglu, que marcou o ponto mais triste para o desporto turco em 2 017. O “Hércules de Bolso” não conseguiu sobreviver apesar de todos os esforços dos médicos. Suleymanoglu é considerado como o melhor halterofilista de todos os tempos, e ficará para sempre na história do levantamento de pesos com o seu inigualável palmarés de 8 títulos mundiais e 46 recordes mundiais.

O Campeonato Mundial de Atletismo deixou-nos recordações inesquecíveis. O atleta turco Ramil Guliyev, depois de vencer a final dos 200 metros, foi considerado o atleta do ano depois de trazer para a Turquia a primeira medalha de ouro nestes campeonatos do mundo. Nesta mesma competição, Yasmani Capello obteve a medalha de prata nos 400 metros.

Usain Bolt era o primeiro nome que nos vinha à cabeça quando se falava das provas de 100 metros no atletismo. Bolt dominou as corridas de 100 metros ao longo da última década e era considerado invencível pelos seus rivais. O grande campeão de velocidade despediu-se da sua carreira com uma desilusão, na sua última corrida nos campeonatos do mundo de atletismo.

Bolt já tinha antes dito que a final dos 100 metros no Campeonato do Mundo de Atletismo seria a sua última corrida. Ele queria deixar o atletismo ganhando uma medalha de ouro no neste campeonato, mas ficou atrás do seu rival Justin Gatlin. No final da corrida, os espetadores aplaudiram Bolt como se ele tivesse ganho. E Gatlin, o seu rival de sempre que desta vez venceu, fez uma vénia perante o grande recordista e apresentaram-se juntos na despedida perante o público. Isto sim é espírito desportivo e respeito entre adversários.

No final da sua carreira, a Jamaica – país de origem de Bolt – imortalizou o seu campeão erigindo-lhe uma estátua de bronze. O atleta de 31 anos, vencedor de 8 medalhas de ouro nos jogos olímpicos e mais 11 nos campeonatos do mundo, tem agora a sua estátua em frente ao Estádio Nacional da Jamaica, em Kingston – a capital do país. Este foi sem dúvida o maior prémio para Bolt, depois de uma carreira cheia de êxito.

As figuras mais destacadas do mundo do ténis mantiveram a sua supremacia nos torneios do Grand Slam. Em 2 017, o mundo do ténis focou-se nas prestações das maiores estrelas como Federer, Nadal, Murray, Djokovic e Wawrinka. Murray e Djokovic terminaram mais cedo a sua prestação no ano passado por causa de lesões. Wawrinka também se lesionou depois da final de Roland Garros. Mas o maior destaque vai sem dúvida para o regresso de Federer, que também devido a lesão esteve 6 meses afastado dos courts.

O tenista espanhol Rafael Nadal teve um excelente ano de 2 017, e venceu o Open dos Estados Unidos depois de bater Kevin Anderson na final. Nadal venceu também o torneio de Roland Garros, batendo na final Wawrinka, um dos favoritos à vitória. Roland Garros é um torneio especial para Nadal, pois foi aqui que venceu o seu primeiro torneio do Grand Slam, com apenas 18 anos de idade. Roland Garros é também completamente dominado pelo tenista espanhol, que já venceu o Open de França por 10 vezes.

Na final de Wimbledon, Marin Cilic defrontou Roger Federer. O tenista suíço venceu, mostrando assim que o seu afastamento dos courts não lhe tirou a capacidade para vencer ao mais alto nível.

A final do Open da Austrália pôs frente a frente Federer e Nadal, as duas maiores figuras do ténis no momento atual. Federer acabaria por levar a melhor, tendo conquistado na Austrália o seu 19º triunfo em provas do Grand Slam.

O público está habituado a ver Nadal e Federer a jogarem um contra o outro. Mas na Laver Cup disputada em Praga, na República Checa, as duas maiores figuras do mundo do ténis juntaram forças e jogaram como equipa, a pares, tendo ganho o torneio contra a dupla formada por Sam Querrey e Jack Sock.

O ano de 2 017 do ténis fica também marcado pelo gesto cavalheiresco e respeitoso de Nadal, que afirmou que Roger Federer é a maior figura de sempre na história do ténis. Em 2 017, Nadal perdeu 4 jogos contra Federer.

Dos courts passamos agora para as pistas, para dar conta da vitória do piloto britânico Lewis Hamilton, que se sagrou campeão do mundo de Fórmula 1. Nos rallies, o grande vencedor do ano foi o francês Sebastien Ogier, que mais uma vez se sagrou campeão mundial de rallies. Outro francês, Lucas Mahias, venceu o campeonato do mundo de Super Sport em motociclismo. Também em motas, Marc Márquez sagrou-se campeão do mundo de Moto GP.

A equipa turca de basquetebol Fenerbahçe Dogus venceu a Euroliga, depois de bater por 80-64 os gregos do Olympiacos. O ano fica também marcado pela vitória da Eslovénia, que se sagrou campeã da Europa de basquetebol, depois de vencer a Sérvia na final por 85-83.

No voleibol, destacamos a vitória da equipa feminina do Vakif Bank, que conquistou o título mundial de clubes depois de vencer por 3-0 as brasileiras do Rexona Sesc.

Ainda no feminino, destacamos também a equipa turca de voleibol do Bursa Buyuksehir Belediyespor, que venceu a Taça da Confederação Europeia de Voleibol (CEV). E a equipa turca de basquetebol feminino da Universidade de Yakin Dogu venceu a Eurocup.

No futebol, a FIFA penalizou Messi com uma suspensão de 4 jogos, por ter insultado um árbitro assistente durante o jogo entre a Argentina e o Chile, a contar para a fase de apuramento sul-americana para o Mundial de 2 018. Cristiano Ronaldo, o grande rival de Messi, conquistou em 2 017 mais uma Bola de Ouro, atribuída ao melhor jogador do ano.

A seleção de futebol da Alemanha conquistou mais um título em 2 017, ao vencer o Chile na final da Taça das Confederações. Os alemães mostraram assim uma vez mais que estão prontos para o Mundial de 2 018 na Rússia.

No ciclismo, o britânico Chris Froome venceu o Tour de França e a Vuelta a Espanha.

2 017 foi um ano rico em acontecimentos desportivos mas chegou ao fim. Espera-nos agora um novo ano cheio de novos entusiasmos, novas figuras e novos recordes.

Desejamos a todos que seja um novo ano cheio de saúde, felicidade e sucessos.

Termina por aqui o programa desta semana, mas nunca acabará o Desporto Mundial…

Este programa foi escrito por Ali Tansu Polatkan



Notícias relacionadas