Rússia garante que foi um “míssil ucraniano” que derrubou o avião da Malaysia Airlines em 2 014

“O míssil que atingiu o avião foi fabricado em 1 986 e depois enviado para Termopil, no atual território ucraniano”.

Rússia garante que foi um “míssil ucraniano” que derrubou o avião da Malaysia Airlines em 2 014

Igor Konashenkov, o porta voz do Ministério da Defesa da Federação Russa, disse durante uma conferência de imprensa em Moscovo que foram encontrados “novos vestígios” sobre o caso do voo MH17 da Malaysia Airlines, que foi derrubado na Ucrânia em 2 014.

“O míssil que atingiu o avião foi fabricado em 1 986 e depois enviado para Termopil, no atual território ucraniano. O míssil nunca chegou a ser reenviado para a Rússia, pois pertence ao exército da Ucrânia”. Konashenkov garantiu também que são “falsas” as imagens da equipa de investigação JIT, que associaram a Rússia ao derrube do avião.

“A Ucrânia deve partilhar os seus registos arquivados sobre este míssil” – indicou o porta voz do Ministério da Defesa da Federação Russa.

O JIT, composto por investigadores holandeses, austríacos, belgas, ucranianos e malaios, concluiu que o avião foi derrubado por um míssil do exército russo.

O avião malaio foi derrubado a 40 kms da fronteira russa, quando fazia a rota entre Amesterdão e Kuala Lumpur, no dia 17 de julho de 2 014. A bordo deste voo seguiam 283 passageiros e 15 tripulantes. Ninguém sobreviveu a este sinistro.



Notícias relacionadas