Decretam luto nacional pelos 44 marinheiros do submarino ARA San Juan

Os restos do ARA San Juan estavam localizados no fundo do Oceano Atlântico, apenas um ano e um dia depois de relatar sua comunicação pela última vez

Decretam luto nacional pelos 44 marinheiros do submarino ARA San Juan

Buenos Aires, (EFE) .- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, decretará "luto nacional" pelos 44 tripulantes do submarino ARA San Juan, localizado nesta madrugada no Atlântico após um ano e um dia desaparecido e incomunicado.

"O luto nacional será decretado e haverá também uma ordem que obviamente içará a bandeira a meio mastro na Argentina, com a verificação que temos desde a noite passada", disse o ministro da Defesa, Oscar Aguad, em entrevista coletiva em Buenos Aires.

O titular da pasta da qual dependem as Forças Armadas, acompanhado por várias autoridades militares, especificou que a ordem presidencial está "fazendo o impossível" para saber o que aconteceu com o submarino, que já foi reportado como tendo sofrido uma "implosão" quando desapareceu, pelo qual várias de suas partes se desintegraram.

"Sempre cometi erros, às vezes posso ter pecado como otimista, admito e às vezes gerava expectativas que não eram satisfeitas no final, peço desculpas por isso, mas tivemos um ano muito difícil", afirmou ao responder a questão de se o governo faz uma autocrítica sobre o caso do ARA San Juan.

O ministro acrescentou que seus sentimentos são "contraditórios".

"Por um lado, o alívio de ter atingido o submarino e, por outro, a tragédia. Para mim é difícil assimilá-los, imagine as famílias", reconheceu.



Notícias relacionadas