Opositores unem-se para novos protestos e por eleições justas na Venezuela

"Nós propomos uma ampla aliança que exige eleições livres e justas para mudar e reconciliar a Venezuela sem assassinatos, sem prisioneiros políticos, nem exilados nem perseguidos e sem essa trágica emergência humanitária".

Opositores unem-se para novos protestos e por eleições justas na Venezuela

As forças sociais e políticas opostas ao governo de Nicolás Maduro foram registradas nesta quinta-feira na chamada "Frente Ampla Venezuela Livre", cujo objetivo é a mudança política "democrática" e "pacífica" no país caribenho.

"Nós propomos uma ampla aliança que exige eleições livres e justas para mudar e reconciliar a Venezuela sem assassinatos, sem prisioneiros políticos, nem exilados nem perseguidos e sem essa trágica emergência humanitária que mata hospitais, escolas e crianças", diz o manifesto acordado pela frente.

O documento foi lido pela presidente da Federação de Centros Universitários da Universidade Central da Venezuela (FCU-UCV), Rafaela Requesens, diante de uma audiência com a participação de políticos como Henrique Capriles e Henry Ramos Allup, bem como Lilian Tintori, esposa do líder encarcerado Leopoldo López.

Requesens observou que os presentes se unem para "resgatar a democracia", mudar o presidente Maduro e "o modelo inconstitucional" que foi imposto e convidou "as várias organizações nacionais, regionais e locais" a se juntarem.


Etiquetas: Venezuela

Notícias relacionadas