Maduro ordena exercícios militares em resposta a ameaças dos EUA

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, adverte que a oposição será investigada por apoiar as advertências de Trump sobre "possível opção militar".

Maduro ordena exercícios militares em resposta a ameaças dos EUA

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, ordenou que suas forças armadas realizassem um exercício nacional na próxima semana em resposta à ameaça do presidente dos EUA, Donald Trump, de possível ação militar. Ele também pediu à assembléia constituinte pró-governo que investigasse a oposição por supostamente apoiar as observações de Trump.

Chamando por "justiça", ele disse que a comissão de verdade criada pela assembléia constitucional deve investigar os líderes da oposição como "traidores" por não falar claramente contra o presidente dos EUA. Os oponentes que não cooperam na investigação enfrentarão a prisão, advertiu.

A principal aliança da oposição rejeitou o uso de ameaças militares para resolver a crise da Venezuela.

Mais de 120 pessoas foram mortas desde que os protestos anti-governo começaram em abril, impulsionados pela indignação por falta de alimentos e remédios e a criação de um órgão legislativo de Maduro que alguns governos de todo o mundo dizem ser "ditatorial".


Contra interferências estrangeiras

O protessto em Caracas que se aconteceu em frente a Maduro levou as exortações do presidente contra os EUA com gritos de "Yankee vá para casa!"

O líder esquerdista prometeu "defender o país com tanques, aviões e mísseis".

A Venezuela, um aliado de Cuba e da Rússia, teria comprado tanques de defesa antiaéreos russos há anos atrás, sob o antecessor de Maduro, Hugo Chávez".

A coalizão da oposição venezuelana no domingo rejeitou "o uso da força, ou a ameaça de aplicar tal força, por qualquer país contra a Venezuela".

Fonte: TRTWorld e agências


Etiquetas: Maduro

Notícias relacionadas