Congo: milhares de crianças faltam na escola devido a confrontos

A violência manteve cerca de 150 mil crianças fora da sala de aula e danificou 600 escolas, diz UNICEF.

Congo: milhares de crianças faltam na escola devido a confrontos

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e os funcionários da educação na República Democrática do Congo central disseram que mais de 150 mil crianças já não frequentam a escola devido a confrontos entre organizações de segurança do governo e milícias.

"A violência manteve pelo menos 150 mil crianças na região fora da sala de aula, enquanto mais de 600 escolas primárias e secundárias foram danificadas por ataques", afirmou um comunicado da UNICEF.

Arthur Badinabi, um inspetor escolar em Kasai, disse à Agência Anadolu que o setor educacional foi prejudicado pelos confrontos na região.

"A maioria das escolas fechou devido à insegurança causada por Kamuina Nsapu. Em algumas aldeias, a maioria das pessoas correram para lugares mais seguros com seus filhos. Muitas escolas foram destruídas. Os professores também fugiram para salvar suas vidas", disse ele.

Conflitos na região começaram em agosto passado, quando o líder do grupo Kamuina Nsapu, foi morto por policiais. Desde então, os milicianos passaram por uma fúria, atacando a polícia e o exército.

De acordo com o ACNUR, a agência de refugiados da ONU, mais de 500 pessoas foram mortas e mais de um milhão de deslocados em Kasai desde agosto passado. Cerca de 25 mil pessoas também fugiram para a vizinha Angola.



Notícias relacionadas